domingo, 12 de fevereiro de 2017

A noite  ,da mais  que momento,
É tormento pra esvair agruras,
E quem seguras seu firmamento
Sobre o lamento em alturas.

Ó divina indiferença ...

Hoje tu passas por mim
Como algo enfatigado no enfim,
E sondas em Teu adro.

Hoje tenho o estopim
implodindo o algo mais,
mesmo que não se tais
sonhos , eu me ponho
acima de feridas , me recomponho.

ó ama , como tu me olhas,
como dame fatale ,
mas antes que o silencio me cale,
te ofereço não rosa , mas folhas,

que caem da brevidade ,
e proporciona a saudade,
de ti escolher de mim a perda.

a vida não é só atos e amanhãs , mas escolhas do que erdas.

T.V///Veiga